Fazendo as Idéias Acontecerem

“Fazer uma idéia acontecer = (A idéia) + Organização e Execução + Forças da Comunidade + Capacidade de Liderança” Scott Belsky

Penso que o título deste artigo tem tudo a ver comigo, pois sempre fui um tanto sonhador e visionário, mas que também gosta de planejar e partir para a ação. Ao longo da minha vida profissional tive duas empresas de tecnologia da informação e nelas tive a oportunidade de me envolver em diversos projetos, desenvolvendo soluções sob demanda para clientes e produtos de software. Fui bem sucedido em alguns e em outros nem tanto. Com poucos recursos disponíveis sempre busquei a excelência cumprindo prazos e atendendo as expectativas dos interessados.

Ao longo do tempo fui aprendendo sobre: metodologias e melhores práticas na gestão de projetos buscando formas mais simples e ágeis de colocar as idéias na prática; e como utilizar competências e talentos que as pessoas possuem em conjunto e sintonia para transformá-los em forças que permitem aumentar a produtividade e os resultados com redução de tempo, recursos e esforços.

Mas faltava algo que permitisse passar adiante a essência de tudo isso de forma simples, prática e objetiva para pessoas criativas que precisam transformar idéias em ação. Em resposta a esta busca encontrei o livro “Making Ideas Happen – Overcoming the Obstacles Between Vision and Reality” de Scott Belsky, fundador e CEO da Behance, empresa dedicada a capacitar e organizar o mundo criativo.

Making Ideas Happen
Fazendo as Idéias Acontecerem

O livro ensina a por em prática suas idéias e sonhos, com: projetos/ações, liderança e parcerias. Procura também responder a questão: como posso permanecer organizado no meio do caos do dia a dia realizando tarefas, gerenciando projetos e permanecendo com a mente clara o suficiente para ainda ser criativo?

Como ainda não temos o livro traduzido em português no Brasil, comprei a versão impressa na Amazon para a minha filha Marina, que é formada em Design Gráfico e trabalha no Portal da MTV. Ela é sonhadora, muito criativa, com espírito empreendedor, mas como quase todo mundo, com estas características, tem dificuldade de colocar as idéias em prática, planejar e partir para a ação. Não consegui esperar o livro chegar então comprei a versão digital do mesmo e tão logo baixei li o livro, utilizando as versões do aplicativo Kindle para iPhone e para PC.

Gostei muito das idéias, conceitos e conselhos práticos do livro e, ao invés de faz um mapa mental ou resumo para uso pessoal, desta vez resolvi compartilhar um pouco do aprendizado resumindo tudo neste texto que segue:

Belsky ensina como fazer as idéias acontecerem no mundo real como produtos e/ou serviços. Ele escreve baseado em suas próprias experiências e no resultado de muitos anos de pesquisa com pessoas visionárias que sabem transformar idéias criativas em ações, e que geralmente atingem excelentes resultados. Ele explora a idéia de organização e execução no contexto da mente criativa e de ambiente de trabalho em constante mudança.

IDÉIAS NÃO ACONTECEM por serem maravilhosas ou por acidente. O conceito errado de que grandes idéias inevitavelmente levam ao sucesso prevaleceu por muito tempo. Se você tem a solução perfeita para um problema do dia a dia ou um novo conceito ousado para uma obra de arte criativa, você deve transformar visão em realidade. Mas você não precisa ter o talento de um gênio criativo para fazer as idéias acontecerem, pois isto está ao seu alcance. Para isso você precisa modificar seus hábitos de organização, envolver-se numa comunidade e desenvolver sua capacidade de liderança.

Muitas pessoas criativas geralmente improvisam e agem intuitivamente dizendo que esta é a essência de quem elas são, entretanto quando analisamos de perto como os mais bem sucedidos e produtivos criadores, empreendedores e homens de negócio verdadeiramente fazem as idéias acontecerem, veremos que “ter uma idéia” é apenas a menor parte de processo, talvez apenas um centésimo da jornada.

Thomas Edison dizia que “Gênio é 1% de inspiração e 99% de transpiração”. Para mentes criativas inspiração vem com facilidade, mas são necessários os outros 99 por cento para fazer acontecer, sendo assim você vai precisar de muita paixão e determinação. Belsky chama de “compromisso criativo” quando você é capaz de adotar as restrições e as melhores práticas necessárias, mas que inicialmente o deixam desconfortável. A aspiração que você deve ter é melhorar sua abordagem, e a responsabilidade que você deve ter é dar a suas idéias uma chance.

O livro lhe será útil se você: tiver uma grande idéia, ou idéias, mas não consegue tirá-las do chão; já está trabalhando em suas idéias e quer executar melhor; precisa aprender a melhor maneira de gerenciar tarefas e organizar (primeira parte do livro); quer criar uma equipe dinâmica que assume a sua idéia totalmente; deseja ativar a sua equipe para fazer mais e atingir resultados mais criativos.

Scott Belsky defende que você precisa de três coisas, que deverão ser usadas simultaneamente, para fazer alguma idéia acontecer: modificar seus hábitos de organização, envolver-se numa comunidade mais ampla, e desenvolver a sua capacidade de liderança.  Ele diz também que, apenas usando todas as três forças os indivíduos e a suas organizações podem superar obstáculos, sempre presentes, como desorganização, perfeccionismo e criatividade indisciplinada.

Assim, ele dividiu o livro em três partes:

1 – Organização e Execução

O autor fala da importância da execução revelando exemplos de pessoas com boas idéias que nunca as concretizaram e de outras com idéias não tão boas, mas que concretizaram e ganharam muito dinheiro. Isto ocorre porque para pessoas criativas, gerar idéias é bastante natural, mas o caminho para fazê-los acontecer é bastante tumultuada.

Criatividade X Organização = Impacto

A equação acima nos mostra que a organização é tão importante quanto as idéias, quando se trata de causar um impacto.

Se você quiser levar suas idéias adiante, precisa descobrir como organizá-las e, em seguida, como gerenciar o processo de trabalhar com elas. Uma boa parte do livro descreve como gerenciar melhor as tarefas. O sistema propõe três categorias principais: Passos de Ação, Referências, e Backburners. Um dos problemas com as idéias é que elas surgem em você nos momentos mais inconvenientes, sendo assim você precisa de um lugar para armazenar as novas idéias enquanto você avança sobre as atuais.

Belsky sugere que você tome uma abordagem baseada em projetos para fazer as idéias acontecem. Cada idéia principal deve ser um projeto e cada projeto deve ter os Passos de Ação, ou seja, as coisas que você precisa fazer para avançar a idéia; Referências, que são as informações que alimentam a idéia, mas não são necessariamente orientadas para a ação;  e Backburners, que são as coisas para análise futura. Belsky, e sua equipe no Behance,  desenvolveram o  chamado “Método de Ação”, um sistema de gerenciamento de tarefas que incorpora essas idéias. O método pode ser usado offline em planilhas de papel, ou através de  ferramenta de software disponível online via Web ou por um iPhone.

Ser organizado é o primeiro passo para a execução. As pessoas criativas têm uma tendência a pular de um lado para o outro, tentando fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Quando ocorrer uma idéia nova, deixa de fora a velha. Com uma abordagem baseada em projetos e uma maneira de organizar e criar passos de ação em torno de uma idéia, você pode ficar focado e criativo ao mesmo tempo.

2 – Forças da Comunidade

A próxima peça grande de fazer acontecer idéias é a colaboração. Belsky defende que todas as boas idéias precisam de uma equipe para movê-las para a conclusão. Estou certo de que você pode encontrar exemplos em que isso não é verdade, mas Belsky tem grandes exemplos onde isso ocorre. Equipes fazem mais progressos do que indivíduos, pois nos permitem obter feedback, aprimorando idéias, aumentando a transparência e promovendo a partilha e conclusão dos trabalhos.

Isto não é sobre dinheiro, é sobre mentalidade. Tendo apenas uma pessoa que fica acordada a noite pensando em como resolver um problema ou aproveitar uma oportunidade especial é francamente insuficiente. Você precisa engajar a sua equipe como proprietários, compartilhando créditos, responsabilidades, e recompensas financeiras.

Belsky enfatiza a importância da colaboração, na qual um dos benefícios que ela traz surpreendente é o ceticismo. Se você adicionar continuamente muitas idéias no seu projeto, isto pode ameaçar o foco inicial e unidade. Os céticos tendem a ser negativos, mas podem expor falhas de uma idéia e dúvidas no início. Uma das melhores coisas que você pode fazer para que as idéias aconteçam, ao que parece, é matar as idéias ruins rapidamente.

Naturalmente, a colaboração pode lhe proporcionar muito mais, principalmente quando você consegue fazer mais pessoas ficarem animadas com a sua idéia; desenvolve a capacidade de organizar sua idéia em um projeto linear, e com a equipe parte rapidamente em direção a execução final.

Sessões de brainstorming são úteis para discutir idéias, mas devem começar com uma pergunta e o objetivo de obter algo específico, relevante e que gere ações. Você deve sair dessas sessões com mais convicção do que quando começou.

Outra coisa que Belsky traz é a dinâmica do Sonhador e Realizador. Se você é o Sonhador, é necessário encontrar um parceiro Realizador para que você possa colocar a sua idéia no mercado. Um sonhador é criativo e desafia o status quo. Um Realizador pode não ver bem o todo, mas pode ver todos os pequenos detalhes necessários para concluir o trabalho. Gary Vaynerchuk compartilha conselhos semelhantes. Sonhadores têm as  vezes medo dos realizadores, porque acham que eles vão comprometer o seu sonho. No entanto, sem Realizadores, por vezes, o seu sonho nunca verá a luz do dia. Belsky fala de um terceiro tipo de pessoa, e as chama de Incrementalista, pois tem as duas capacidades de Sonhador e Realizador, mas que às vezes tem como ponto fraco, a tendência de acumular muitas idéias e projetos simultaneamente e se sentir em conflito ou confuso.  Ele nos diz que o ideal para o Incrementalista é escolher um dos papeis e delegar o outro para um sócio ou outro colaborador.

3 – Capacidade de Liderança

Finalmente, para trazer suas idéias fluírem, você precisa aprender sobre liderança. A capacidade de liderança é o que torna a busca de uma idéia sustentável, escalável e, finalmente, bem-sucedida. Primeiramente você precisa liderar a si mesmo, se tornando organizado, e isto é um grande desafio. Então você cria o excitamento em torno de sua idéia e constrói uma equipe. Para manter a equipe motivada e produtiva, levando a sua idéia adiante, você deve aprender a trabalhar com os colaboradores, e fazê-los sentirem-se importantes no processo. Na última parte do livro, Belsky dá muitos conselhos, tomados de pessoas que tiveram grande sucesso em como liderar.

O desenvolvimento da liderança é algo experimental. Através de tentativa e erro, bons e maus momentos, que tornam os líderes gradualmente melhores, mas apenas se tiverem auto-conhecimento suficiente para perceber quando e por que erram.

O amor causa tanto empenho e, em seguida, muitas vezes, uma grande decepção. Mas um amor duradouro por uma idéia ou interesse pode empurrá-lo a ultrapassar os obstáculos. As pessoas que transformam indústrias e mudam o mundo são as pessoas que dominam o que amam. Elas continuam a exercer seu ofício porque amam o processo mais do que o resultado. E elas estão constantemente descobrindo novas maneiras de voltar a engrenar, mantendo o amor vivo, apesar do conjunto de pressões que vêm entre visões e realidade.

Ele nos orienta ainda sobre a influência do ambiente na criatividade e na execução. Por exemplo: tetos altos incentivam mais os pensamentos que fluem livremente e tornando o local ideal para brainstorming; por outro lado, ambientes mais fechados, podem ajudar no foco quando é hora de planejar e agir.

Assume que é comum a ocorrência de conflitos durante o processo criativo. E que isto é bom porque mostra a paixão das pessoas. Quando isso ocorre é importante descobrir as questões cedo e debatê-las na busca por soluções. A resposta é usualmente algum ponto no meio.

Os líderes devem falar por último, pois, quando falam primeiro, ninguém está disposto a desafiá-los mesmo que o líder não pode ter a melhor idéia. Outros tornam-se hesitantes em discordar ou oferecer soluções com o medo da rejeição. Em vez disso, os líderes devem promover a unidade da equipe na resolução de problemas e abrir a discussão apelando à participação de todos.

Há uma grande virada no conselho Belsky sobre a liderança. Para a maior parte dos casos, esta seção do livro pode estar em qualquer liderança ou manual de gestão. Mas Belsky sempre liga de volta para a idéia. A idéia é o motor que torna tudo isso possível. Então, quando você conduzir, faça isso como a idéia em mente, incutindo paixão a cada passo do caminho. Lembre que a execução é a chave, e não a idéia, mas que o ideal para a execução é uma grande idéia.

Tenho certeza que o  seu esforço para desenvolver a capacidade de fazer as coisas acontecerem vai valer o investimento.

Por favor, fique a vontade de contribuir com um comentário e compartilhar este artigo com seus amigos.

Meu endereço no Twitter é: @neigrando –  www.twitter.com/neigrando

Veja também o artigo “5 dicas para ser mais produtivo. Apesar das redes sociais”, por Andréa Dunningham em:  http://oglobo.globo.com/blogs/mercadodigital/posts/2010/04/16/5-dicas-para-ser-mais-produtivo-apesar-das-redes-sociais-284320.asp

Links relacionados ao assunto:

www.the99percent.com – Site do Livro – assuntos relacionados e a cultura da ação

www.actionmethod.com – Ferramenta do Método de Ação

www.behance.com – Comunidade para compartilhamento de idéias e aprendizado

www.amazon.com/Making-Ideas-Happen-Overcoming-Obstacles/dp/159184312X – Para compra do livro

http://abcdesign.com.br/design-de-produto/fazendo-ideias-acontecer – Outro blog sobre o assunto

Outros links:

www.getrichslowly.org/blog/2006/11/06/getting-things-done-how-to-take-control-of-life/ – Resume o GTD

www.43folders.com/2004/09/08/getting-started-with-getting-things-done – Introdução ao método GTD

www.pmisp.org.br – Project Management Institute, em São Paulo, com informações avançadas sobre projetos, certificação PMP e Guia PMBoK (Project Management Body of Knowledge)

www.sebraesp.com.br – SEBRAE SP – Para quem iniciar uma empresa ou melhorar a gestão

www.endeavor.org.br – Instituto Empreender Endeavor – Promove o empreendedorismo

Livros relacionados ao assunto:

Getting things done – A arte de FAZER ACONTECER, de David Allen – Editora Campus. Uma fórmula anti-stress para estabelecer prioridades e entregar soluções. Ensina o método GTD para organizar o material de trabalho (stuff) e as atividades do dia a dia.

Desafio: Fazer Acontecer – A disciplina de execução nos negócios, de Larry Bossidy e Ram Charam – Editora Negócio. Título em inglês: Execution – The Discipline of Getting Things Done. Este livro está mais voltado para o Gerenciamento da Estratégia nas grandes organizações.

Outros livros:

Descubra seus Pontos Fortes, de Marcus Buckingham e Donald O. Clifton – Editora Sextante. Um programa revolucionário que mostra como desenvolver seus talentos especiais e os das pessoas que você lidera. Baseado num estudo do Instituto Gallup com mais de 2 milhões de pessoas.

O Livro Negro do Empreendedor – Depois não diga que não foi avisado, de Fernando Trias – Editora BestSeller. Fala, entre muitas coisas úteis, sobre avaliação e seleção de idéias.

Business Think – Regras para acertar em cheio nos negócios, de Dave Marcum, Steve Smith e Mahan Khalsa – Editora Rocco, com direitos da Frankling Covey Co. Também ensina a trabalhar melhor as idéias.

Trabalhe 4 horas por semana, de Timothy Ferriss – Editora Planeta. Como obter mais resultados com menos esforços.

Empreender Fazendo a Diferença, de Michael E. Gerber – Editora Fundamento. Para quem sabe fazer o pastel (técnico), mas quer ter uma pastelaria (empreender e adaministrar).

Criative-se – Um guia prático para turbinar o seu potencial criativo, de Guy Claxton e Bill Lucas – Editora Gente.

O Despertar na era da Criatividade – Passos de Desenvolvimento do Potencial Criativo para Realização Profissional e Pessoal, de Lois Robbins – Editora Gente. Título original em inglês: Waking up in the age of creativity.

Para o pessoal de TI que desenvolvem software, recomendo a busca de informações sobre metodologias ágeis como: SCRUM, XP e FDD; e a utilização de ferramentas de colaboração em projetos como JIRA da Atlassian.

Obrigado por ler este artigo.  Espero que tenha sido útil a você.

15 pensamentos sobre “Fazendo as Idéias Acontecerem

  1. Prezado Nei,

    Muito bom seu artigo, aliás para ser sincero, durante todos estes anos em tivemos contato não me lembro de algo que voce tivesse feito ou dito, que eu reprovasse.
    As vezes me reprovo por não ter DISCIPLINA suficiente para por em prática suas dicas.

    Abraços

  2. Parabéns pelo artigo. Reune aspectos fundamentais para quem tem o mínimo de interesse em se manter jogando num ambiente altamente competitivo e global.
    forte abç
    Augusto

  3. Incrível seu trabalho!

    Estou lendo agora o Making Ideas Happen e estou adorando, já que me identifico com o perfil do criativo-caótico que Belsky descreve, sempre com mil ideias mas sem forças, organização e persistência para fazê-las acontecerem.

    Adorei as dicas de livros no fim do post e os links relacionados. Muito útil mesmo, obrigada!

    Continue com este blog incrível.

  4. Oi pai!
    Muito boa a tua idéia de colocar resumos seus dos livros que anda lendo, assim você pode compartilhar seus conhecimentos com mais pessoas!🙂

  5. Nei,

    Parabens pelo artigo, ja adicionei o “Making Ideas Happen” na minha listinha assim como outros sugeridos.

    Estou conhecendo o seu blog agora, e ja impressionei, vou dar uma olhada nos outros artigos.

    Abraços
    Marlon C. Bomfim

  6. Nei:

    Desde que conhecemos você sempre acrescentou coisas boas. Parabéns por mais esta iniciativa e só queria contribuir que além dos criativos e dos realizadores existe, não um perfil, mas uma noção de momento que deve fazer parte de todos, pois uma idéia que consiga ser executada ainda tem um compromisso com o tempo, não podendo nem “perder o bonde” nem estar tão avançada que não seja compreendida…

    Um Grande Abraço meu amigo…..

    Silvio

  7. Olá Nei,

    Excelente texto e resumo. Não há dúvida que trata-se de mais um livro que entra na minha lista de “Importante para ler em breve”.🙂
    Eu me identifiquei c/algumas situações descritas e vejo preciso mesmo colocar as minhas idéias e “coisas” em ordem para ser mais eficaz e determinado nas minhas ações.

    Grande abraço

  8. Caro Nei,

    Primeiramente um excelente 2011. Como uma de minhas primeiras ações neste novo ano, estava em poder ler suas dicas e seu blog. Este primeiro artigo que li, ilustra que perdi muito não lendos seus posts antes. Vou procurar me policiar e reservar um tempinho para acompanhar seu blog com mais frequência. Parabéns pela iniciativa.

  9. Nei, parabéns por este post também!

    Vi que o livro e você citam a questão dos 99%. Percebi que isso é fundamental para o empreendedor e já consigo vislumbrar o tipo de perfil que preciso trazer para me acompanhar e o tipo de competência a desenvolver.

    Um grande abraço!

    Douglas

  10. Muito obrigado Irapuam, Augusto, Nina, Cacau, Walmir, Marlon, Sílvio, Olavo, Roberto e Douglas – o feedback de vocês me incentiva a continuar Fazendo as Idéias Acontecerem.🙂

    Há mais sabedoria no transformar conhecimento em ação do que no transformar informação em conhecimento.

  11. Ótimo artigo, a carapuça serviu o tempo todo! Sou do tipo “sonhador”, e por já saber disso, procuro sempre o planejamento para me manter focado e controlado (sobre andamento/progresso, próxima atividade, etc). Também tendo a ser perfeccionista/detalhista, e por perceber isso, procuro fazer esse planejamento sempre o mais estratégico possível, pois como os recursos são limitados, devemos fazer apenas o que for necessário para se chegar a visão pretendida (objetivo final).

    Abraço!

  12. Adorei este artigo. Aprendendo e se auto conhecendo! Foi esclarecedor saber dos papéis do sonhador, realizador e do incrementador. Isso é tão sábio e real. Acho que muitos vivem o dilema do incrementador. Obrigada Nei! Agora que descobri o seu blog me nutrirei com seus artigos e pesquisas. Espero um dia poder colaborar também!

    Abraço

  13. Olá Nei

    Muito bom o artigo, ainda mais por ter me ajudado a organizar as ideias. Sou sonhador e as vezes me vejo perdido em tantas ideias por não conseguir colocá-las em prática. Mas depois deste artigo, estou vendo o norte que devo tomar. Parabéns mais uma vez por escrever de forma clara e objetiva. Vejo que você tem paixão pelo que faz e por isso possui qualidade ao passar a informação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s